Amy sobre “The Chain” e o novo álbum do Evanescence

Quando Amy Lee gravou “The Chain”, de Fleetwood Mac, como um trailer de um minuto para o videogame Gears 5, ela o fez como um projeto solo. Contudo, ela soube imediatamente que queria transformá-lo em uma faixa de banda completa com sua banda Evanescence.

“É algo que eu podia visualizar totalmente como uma música de banda”, diz ela. “Todos nós amamos o Fleetwood Mac, então eu perguntei se poderíamos gravar a música completa, e eles ficaram entusiasmados com isso.”

Desde seu lançamento em 22 de novembro, “The Chain” alcançou o primeiro lugar no ranking de vendas de músicas digitais da Billboard, vendendo 10.000 downloads e registrando 963.000 streams, de acordo com a Nielsen Music. Ao gravar a faixa, a banda colocou uma orquestra inteira nela, enquanto que esses efeitos ouvidos no trailer são feitos em sintetizadores.

“Ser capaz de fazer tudo com uma orquestra de verdade e completa é algo que eu sempre amei”, diz Lee (que conversou com a Billboard antes da revolta que ocorreu em 30 de novembro no Knotfest Meets Forcefest na Cidade do México, depois que Evanescence e Slipknot cancelaram seus shows devido a questões de segurança). “Eu realmente sinto que parte do nosso som é aquela orquestra viva, esse tipo de partitura cinematográfica. Eu sou um pouco nerd e fui influenciada pela música clássica desde tenra idade, então para mim isso é parte do que leva a transformar algo em uma música do Evanescence.”

Quando Lee tem uma ideia ou é abordada sobre um empreendimento como o trailer, a “vibe e espírito” é o que lhe indica se encaixaria como um projeto solo ou como uma música do Evanescence. Lee diz que “The Chain” não aparecerá no novo álbum que a banda está escrevendo com a intenção de gravar e lançar em 2020.

“Eu sou a que tem sido constante e sou o compositora principal do Evanescence desde o início, então, de certa forma, é como ‘Bem, então podemos fazer o que eu quiser'”, diz ela, reconhecendo também que “há algo sobre a nossa marca e nossa banda que é muito maior que eu, e tem sido um esforço colaborativo de muitas pessoas ao longo dos anos.” Ela sente que parte disso é “o coração, parte disso é a produção e a instrumentação que sempre pode ser adicionada – mas acho que, a partir do âmago, algumas músicas parecem músicas do Evanescence, e outras não.”

“The Chain” também é um paliativo para a banda em relação ao lançamento de um single. O último lançamento do Evanescence foi “Imperfection”, do Synthesis de 2017 – álbum que reformulou músicas gravadas anteriormente com orquestração completa – que alcançou o 29º lugar nas vendas de músicas de rock digitais. A última música nova que a banda lançou foi “The Other Side”, do Evanescence de 2011; chegou ao 36º lugar no Mainstream Rock Songs.

Lee diz que “The Chain” não aparecerá no novo álbum que a banda está escrevendo com a intenção de gravar e lançar em 2020. “É apenas algo que surgiu que queríamos fazer”, observa ela. “Agora estamos em um estado legal de multitarefa incrível, porque estamos de férias e em turnê, então também estamos escrevendo para o novo álbum e aproveitando pequenas oportunidades legais como esta para criar uma música para outra coisa.”

A banda cria espaço para compor durante períodos como o início ou o final de uma turnê e também trabalhar com compartilhamento de arquivos on-line. Lee gosta da energia da colaboração, mas também gosta de “refletir e criar novas músicas sozinha sem um prazo, sabe – só quando a inspiração surge, apenas para expor ideias no meu próprio tempo. Mas isso é legal porque podemos compartilhar ideias uns com os outros enquanto estamos separados e pensar nelas separadamente, e depois ir à mesa para o nosso próximo tipo de acampamento da banda com ideias sobre algo que já começou.”

Lee antecipa que, em vez de ficar em um estúdio do início ao fim, o Evanescence adotará uma abordagem ‘aos poucos’ com a gravação. “Vamos pegar algumas músicas que sabemos que estamos prontos para gravar e que amamos, e entrar no estúdio com um produtor”, explica ela. “Então vamos continuar trabalhando e talvez experimentar com um produtor diferente nessas outras músicas.” Ela também está considerando não lançar todas as músicas de uma vez – mas Lee chama o Evanescence de “uma banda de álbuns”, o que significa que “no final do projeto, tem que haver um álbum completo para nós. Eu sinto que é assim que somos.”

Embora a composição esteja nos estágios iniciais, Lee sente que as coisas estão em um bom lugar. “Temos uma ótima coleção de músicas, e uma vibração e um tema estão começando a se desenvolver, e estou realmente empolgada com o rumo que está tomando”, diz ela. “Não quero revelar muito porque há um longo caminho a percorrer, mas definitivamente estamos com disposição para o rock. É dark e pesado.” Dado que faz oito anos desde o lançamento do Evanescence, Lee sente que é importante mostrar como a banda cresceu, bem como capturar o que ela é agora. “Estou animada para encerrar tudo isso, mas estávamos gostando de pecar no lado pesado, porque acabamos de terminar a era Synthesis. Parece que é hora de entrar lá e tentar.”

Lee atribui parte desse crescimento à adição de Jen Majura, que entrou em 2015 após a saída do guitarrista Terry Balsamo, e ela está muito feliz em tê-la. “Ela adicionou muito aos nossos shows ao vivo porque é cantora. Foi realmente incrível ter vocais ao vivo pela primeira vez”, entusiasma-se Lee. “Sou muito fã de vocais em camadas, e ter isso melhor representado em nosso show foi um grande avanço para mim. E também ela tem energia muito boa. Ela tem uma ótima atitude, personalidade divertida, muito envolvente, arrasa no palco, por isso ela foi uma adição divertida à nossa família. E, claro, é incrível ter outra garota na banda pela primeira vez.”

Falando em ter outra mulher presente, Lee também está se unindo às mulheres na estrada. Durante a turnê Synthesis Live 2017-2018, o Evanescence dividiu as principais faixas com a violinista Lindsey Stirling. Na próxima primavera, o quinteto fará parceria com a banda de metal sinfônico holandês Within Temptation, liderado pela vocalista Sharon den Adel, para a Worlds World Collide Tour 2020, que será lançada na Europa em abril. “É em uma escala maior do que temos feito há algum tempo”, diz Lee sobre os valores da produção, “então estou animada por trazer uma produção realmente grande para o jogo que ainda não realizamos”.

Dado que a demanda dos fãs desencadeou a turnê – ambos os grupos de fãs sugeriram a formação – Lee e den Adel unirão forças no palco como Lee fez com Stirling durante a era do Synthesis Live? “Não tenho resposta para isso, porque precisamos conversar sobre isso, mas eu adoraria”, admite Lee. “Precisamos ter essa conversa para ver o que vamos fazer por aí”.

Ela diz que não estava familiarizada com o Within Temptation até o ano passado, e quando o Evanescence assistiu a um dos shows ao vivo deles, ela disse que todos estavam encantados.

“Faz-me sentir um tipo especial de orgulho em compartilhar o palco com outra mulher poderosa [como Sharon] e vê-la fazer o que eu faço”, diz Lee. “Sinto-me orgulhosa e inspirada quando vejo outras mulheres fazendo coisas incríveis no palco, e fiquei muito impressionada com o desempenho dela – e animada por podermos sair em turnê juntas, para que possamos fazer parte disso todas as noites.”

Fonte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.